quinta-feira, 28 de dezembro de 2006

...Que Natal forte de emoções, que arrasto de cansaço e luta,
não sei se de circunstâncias ou massas em movimento,
de encontro e em em cheio, estremeci...
Soltei um peido e dormi,
que Ceia magnífica que licores manjares Dali,
noutro dia a diarreia e a PERI,
logo em casa Ultravelur e boa disposição para o Artur,
uns molhos em jacto de rins, umas iscas de figado passadas,
para o fim de ano vou de patins a levar umas mais cacetadas,
não sei se de circunstâncias ou massas em movimento,
no fim de ano encontrar-me sobrio ou em longo aquecimento,
espero porém contar de aos amigos desejar,
bom alento e saudável crescimento.

segunda-feira, 11 de dezembro de 2006

koop - hoje - à borla :)


214667700
Lisboa,
Casino Lisboa -
Alameda dos Oceanos Lote 1.03.01 - Parque das Nações
Dia 11-12-2006
Segunda às 22h30
Entrada livre.
No Arena Lounge. Arena Live. M/18.

sábado, 9 de dezembro de 2006

J A N T A R D E N A T A L


E pronto, ai está mais um Natal.
Como é hábito vamos nos encontrar em frente a uma boa refeição, quentinhos e bem agasalhados, depois de termos fechado as nossas casas e deixarmos os nossos carros bem estacionados. Vamos passar num multibanco e levantar algum dinério. No dia anterior despedimo-nos dos nossos colegas de trabalho e desejamos-lhes um bom fim de semana.
Tomá-mos a liberdade (eu e a Fi) de organizar este ano, que irá ser no dia 16/12/06 no restaurante Botequim do Rei(no alto do parque Eduardo VII), pelas 20:30. As condições para a prenda são as seguintes:

1- Olhar bem para esta fotografia
2- Pensar no que lhe poderá fazer falta
3- Já pensaste, então compra.

No final do Jantar vamos á procura de alguêm nestas condições e oferecer tudo o que recebemos
Quem receber a prenda mais util para o sem abrigo irá organizar o jantar do próximo ano

Botequim do Rei
Alameda Cardeal Cerejeira – Parque Eduardo VII
1070-044 LISBOA
Tel: 213 160 891 Tel/Fax: 213 154 611 Telem.918979233
botequimdorei.restaunet.pt
E-MAIL:botequimdorei@gmail.com
MENU E PREÇOS


Couvert
Creme de Marisco
Cogumelos c/ Natas
Bacalhau à Minhota
Doce Gelado ou Fruta

PREÇO P/ PAX C/ BEBIDAS S/ CAFÉ…..14.50€
supl. CAFÉ.................... 0.75€

é preciso confirmar até 4ª feira via blog, mail, sms, mms, móvel, fixo, correio, pombo correio, garrafa com um bilhetinho ....

sempre a considerar

sexta-feira, 17 de novembro de 2006

Sou eu, de novo

Esqueci-me da password, só a recuperei agora, mas estou a ver que o blog não desanimou. Eu tinha um clip tão giro para colocar, com ursinhos e tudo, mas é completamente incompatível com a cena que está agora a rodar. Depois eu mostro.
De qualquer forma tenho ainda um convite a fazer-vos a todos, quer tenham crianças, quer não: amanhã a Fermento celebra o primeiro aniversário com muita animação, apareçam!

quinta-feira, 16 de novembro de 2006

Descubra sua sabedoria interior... ou apenas descanse

1. Antes de começar, encontre um local silencioso onde não vá ser perturbado(a).

2. Sente-se e feche os olhos.

3. Concentre-se na respiração, mas inspire e expire normalmente. Não tente controlar ou alterar a respiração deliberadamente. Apenas observe.

Ao observar a respiração, vai ver que ela muda. Haverá variações na velocidade, no ritmo e na profundidade, e pode ser que ela pare por um momento. Não tente provocar nenhuma alteração. Novamente, apenas observe.

Pode ser que você se desconcentre de vez em quando, pensando em outras coisas ou prestando atenção aos ruídos externos. Se isso acontecer, desvie a atenção para a respiração.

Se durante a meditação você perceber que está concentrado(a) em algum sentimento ou expectativa, simplesmente volte a prestar atenção na respiração.

Pratique esta técnica durante quinze minutos. Ao final, mantenha os olhos fechados e permaneça relaxado(a) por dois ou três minutos. Saia do estado de meditação gradualmente, abra os olhos e assuma sua rotina.. ou não ;)

terça-feira, 14 de novembro de 2006

dá aí uns tokes

PASSATEMPO FEIRA DA CRIANÇA

queres ir à grande Feira da Criança, de 16 a 19 de Novembro na Cordoaria Nacional em Lisboa.

Participa já!

Para participares e poderes ganhar, tens de ser um fã do ZIG-ZAG! Responde já à seguinte pergunta:

De que cor é a cadela do Duarte?

Resposta 1: Amarela
Resposta 2: Azul
Resposta 3: Encarnada

Envia um e-mail com a tua resposta, nome completo, número de BI e número de telefone
(para o caso de precisarmos contactar-te) para zigzag@rtp.pt.

regulamento aqui

teste para jogo on.line


eleição das Novas 7 Maravilhas do Mundo

















http://www.new7wonders.com/

domingo, 12 de novembro de 2006

Desafio - uma vida 5 filmes

Paris Texas (Wim Wenders) - porque me despertou para uma nova maneira de vêr cinema
O Convento (Manoel de Oliveira) - porque o argumento é fabuloso
Segredos e mentiras (Mike lie)- pelo desempanho dos actores
Undergraund (Emir Kusturika) - pelo humor e fotografia.
Dog Ville (Lars Von Trier) - porque têm tudo dos anteriores menos a fotografia.

sábado, 28 de outubro de 2006

JÁ ESCOLHERAM O VOSSO PORTUGUÊS ?



Eu escolho este homem, Infante D. Henrique.
Hesitei entre o D. Afonso Henriques, porque na escolha do grande Português devia ser dada àquele que nos permite isto mesmo, ser Portugueses. Mas como na altura era relativamente normal andarem á pancada (curioso, agora que estou a pensar, esse habito persiste até hoje) este jovem não fez mais do que ganhar umas batalhas, bateu na mãe e fez um país (coisa pouca). O Infante teve o mérito de não se acomodar a vidinha faustosa lá do palácio, chamou os melhores intelectuais do reino e da Europa e traçou um plano impensável na altura, vamos lá dar umas voltinhas de barco por ai.

sexta-feira, 20 de outubro de 2006

nada

No seguimento das iniciativas do Dia Sem Compras (http://gaia.org.pt/semcompras) e do Econatal (http://gaia.org.pt/econatal), o GAIA opõe-se a práticas que promovam o consumo e que contribuam para a degradação ambiental e social para fins meramente comerciais. O GAIA promete combater este tipo de iniciativas comerciais natalícias e irá agir de forma criativa e não violenta contra futuros monstros do Natal, promovendo práticas mais ecológicas, mais humanas e menos consumistas.

terça-feira, 17 de outubro de 2006

Afinal existe



Com o nome de Gaspar sua identidade tem sido escondida pelos seus pais desde o dia em que chegou, mas os seus poderes a pouco e pouco têm sido revelados. E nem a kriptonite o pode deter.

quinta-feira, 5 de outubro de 2006

4 - História ainda sem titulo

(continuação, ver post´s anteriores)

..., a sua pele era morena, os olhos ligeiramente rasgados e o nariz um pouco arrebitado. Ocupava-se a vêr os passaportes digitais, e deixava ou não, as pessoas entrarem no perimetro da zona denominada "+30".
Quando era miudo enchia os bolsos de amendoins, corria para o parque e alimentava as primeiras rolas que via, instantes depois mal conseguia vêr o chão tal era a quantidade que caia sobre mim, aqui sinto o mesmo, entre esta multidão desesperada, que não procurava alimento para o corpo mas sim para a razão. Alguns desejavam vêr os seus pertences, outros os seus parentes, mas a maioria nem sabia para onde ir. O dialecto Português praticamente já não se ouvia, esta provincia foi a primeira a absorver o Uês (uma mistura de Inglês, Espanhol e Alemão do principio do sec.)a lingua oficial da UEP (União Europeia das Provincias) acrescendo o facto que esta provincia da UEP foi das mais afectadas com aquilo que ficou conhecido pela "Invasão dos esfomeados".
No inicio do sec. XXI a chegada de imigrantes Africanos á antiga UE, começou por ser feita atravês de pequenissimas embarcações que traziam entre 50 a 100 pessoas, e os poucos que sobreviviam á viagem eram facilmente apanhados pela Guarda. Uns eram repatriados (os idosos e doentes) outros eram explorados pelos empresários. A UE na altura tinha uma população envelhecida e os sistemas de segurança social falidos mas mesmo assim a entrada a imigrantes sempre fora muito condicionada.
Por volta de 2020 estes barquinhos foram substituidos por petroleiros, paquetes, cruzeiros e aviões com milhões e milhões de pessoas esfomeadas provenientes de paises como a Libia, Egipto, Iraque (o que restou dele) e praticamente todo o continente africano.
Eles só fugiam da miséria e da fome dos seus paises, claro que houve alguma violência mas tendo em conta os numeros envolvidos (falou-se em cerca de 20 milhões)foi tudo muito pacifico, espalhados por toda a UEP vieram dar um forte crescimento a esta economia que já se encontrava bastante atrás da Chineza e da Indiana.
Zoe, dizia o seu cartão de indentificação ....

(continuação) quem quiser continuar a história ponha no titulo 5,6,... - HISTÓRIA AINDA SEM TITULO

segunda-feira, 2 de outubro de 2006

Voltar a dormir em casa dos pais

Se não for por razões dramáticas é uma experiência que eu aconselho.
Para isso tem de haver uma condição, eles não terem mudado de casa á pelo menos 15 anos.No meu caso acontece isso e mais, nem um só móvel foi desviado um milimetro.
A primeira impressão parece-me natural, o tecto está mais baixo(não, nós e que crescemos). As divisões estão mais pequenas (não, nós é que engordámos). Acho muito estranho vêr aqueles guarda fatos sem serem embebidos na parede.
É sempre bom passear por uma casa e ver fotografias nossas ainda com cabelo.No quarto "O NOSSO QUARTO" pensas, como é que foi possivél tu teres escolhido estes móveis, pelas paredes vês algumas mossas e lembraste de como elas aconteceram, abres umas gavetas (agora arrumadas) e deparas com umas cassetes ( sim, eu disse cassetes) do Rod Stewart e começo logo a cantarolar "baby jane", Nina Hagen, uns Polystar e Culture Club, já nesta altura o gosto era refinado. Agora sabes que aqueles 12m2 não são o centro do mundo. Pelo resto da casa onde antes andavas as escuras e conhecias cada cm, agora já nem sabes qual interruptor é que liga a luz do hall ou da casa de banho. Ficas um estranho do teu passado.
Sempre a considerar

terça-feira, 26 de setembro de 2006

A metamorfose


Olho o espelho,
vejo atrás de mim o que já não é igual,
reconheço a indiferença porque o tempo passou,
agora sou, já não porque me apetece,
trago em mim aquilo que não se esquece,
não quero voltar nem pesar,
firme vou continuar,
se num acaso voltar encontrar o espelho,
sem contar as diferenças irei olhar,
serão formas ou afagos?
não interessa,
apenas o quero conseguir contemplar.

pensamentos tantos,

Abraços,

segunda-feira, 25 de setembro de 2006

Pedindo autorização, republico para os artistas unidos

Shopping!!

Sei que há "certas e determinadas" pessoas que se acham muito intelectuais e, quando eu perguntei se podia exprimir os meus mais profundos sentimentos e gostos aqui, neste cantinho da blogoesfera, viraram-se e disseram, (anonimamente, ainda por cima, com o duvidoso pseudónimo "bom gosto") que, se eu gostava do Brad Pitt e de ursinhos, não podia "postar" aqui! Acho indecente, em primeiro lugar porque toda a gente gosta de ursinhos, e em segundo lugar, porque é sabido que o Brad Pitt e o Tom Cruise são gajos bons. Ponto assente!
Assim, e porque a epígrafe do blog reza "do + íntimo ao + vulgar, de secreto a público, de elegante a ordinário, de intelectual a banal", chamo a mim a parte do "banal" e convido-vos a virem às compras ali à Rua do Século, a uma das lojas mais fashions do momento! Que digo? À mais fashion, sem dúvida!

sábado, 23 de setembro de 2006

Rua do Meio

Entre amigos cuidamos de dizer o que nos apetece,
por entre diferenças e semelhanças respiramos empatia,
que argumentos nos unem se por vezes o silêncio aquece,
que cores frias reagem com o morno tacto,
somos ruas que albergam murais e jardins,
caminhos de calçada polida a verde esmagado,
recantos delicados sob ruidosas janelas,
construímos passagens discretas ou entre abertas,
organizamos as cores em formas mais ou menos complexas, que afagamos ou desprezamos...
Quando sentimos somos universais,
essa é a rua do meio,
a rua onde todas as outras vão dar.
paginas tantas,
Abraços,

quarta-feira, 20 de setembro de 2006

Riscar o 7??????!!!!!!

Até hoje muitas pessoas quando escrevem o número 7 fazem-no utilizando uma barra horizontal, um traço, um risco suplementar na metade do algarismo.
Oficialmente este pequeno traço não existe, como se constata digitando a tecla 7 do seu teclado do PC, calculadora ou qualquer outro aparelho que> possua teclado.
Agora pergunto: conhece a origem deste costume?
Para responder temos que olhar muitos séculos para trás, aos tempos bíblicos, quando Moisés estava no Monte Sinai e lhe foram ditados os 10 Mandamentos. Em voz alta ele foi dizendo à multidão, um por um.
Quando chegou ao sétimo mandamento, Moisés anunciou: «Não desejarás a mulher do próximo!»
Primeiro, um breve silêncio. E depois,a multidão gritou em coro: - Risca o sete! Risca o sete!

Truz, truz… Posso entrar?

Olá! Recebi um convite e aqui estou para participar! Posso escrever o que eu quiser? Posso pôr aqui as fotos que eu quiser? Tipo, assim de ursinhos com corações e isso? E posso passar as letras das minhas canções favoritas? E dos meus poemas? E dos meus actores favoritos? Brad Pitt, Tom Cruise, e isso?! Posso? Posso?

segunda-feira, 18 de setembro de 2006

ausente

Tenho andado ausente, não só do nosso Blog como de tudo o resto.
Não me tem apetecido. É um vazio e despreendimento de tudo aquilo que julgava importante. Afinal como dizem os Camillions " a vida é uma ilusão de optica".
Queria ficar já por aqui, mas agora que comecei a escrever vou até onde me apeteça.
Quando falamos é tudo tão automático e tão pouco pensado e portanto desprovido de conteudo, o que não acontece quando escrevo ( e estou a aprender isto aqui no blog ), se uma pessoa se senta em frente a um computador, faz o log in e começa a escrever tem forsosamente de querer dizer alguma coisa, e isso não sai tão espontaneamente como na linguagem verbal (talvez seja por isso que quase ninguem, publica nada) mas eu tento ou por outro lado estou a tentar. Já reparei que alguns amigos começam a olhar de lado, este não é bem o tipo que eu conhecia, e até eu já me apresentei a mim. Mas reparem num jantar de amigos, eu não estou a pensar naquilo que vou dizer, a coisa sai, e entra um copo, e sai mais umas coisas e entram mais uns copos, e no fim N A D A . E aqui N A D A mas esperem, eu disse que andava a tentar.

Saudinha para todos,

Sempre a considerar

1000 curiosos

fui o milionesimo primeiro curioso .. há prémios ) ?

quarta-feira, 13 de setembro de 2006

Gaspar

E agora todos de pé, uma salva de palmas. 1ª Etapa concluida com sucesso

terça-feira, 5 de setembro de 2006

PAIternidade_1ª

tenho andado, com o passar do tempo e com os meus filhos a crescerem nesse processo imparável, a pensar mais e mais nisto que é, ser PAI. lembro-me de quando soube que ia ser PAI, da imensa euforia à mistura com o enorme medo que me invadiram. lembro-me do episódio que se passou uns 15 dias antes do gustavo nascer. foi a meio da noite (como sempre costuma ser), acordo com aquela dor no peito em estado de não suportar que me leva ao hospital. exames feitos, ah e tal isso é ansiedade e coiso nervoso e não sei quê (esta foi fedorenta). resumindo, andava cheio de medo dessa responsabilidade, desse vínculo mais forte à vida. ainda para mais, trazia do meu passado mais uma (entre milhões) dessas tristes histórias de pais separados, que desenvolvem para a ausência de pai, incomunicabilidade entre ambos, enfim, ingredientes q.b para ainda estar aqui hoje com estas merdas todas. e já lá vão 40 anos! e também já lá vão 5 anos que sou PAI. não só PAI de um, mas de dois, sendo que ao segundo já não fui parar ao hospital. 5 anos de PAIternidade que me deram uma nova dimensão da vida. anos que me trouxeram novas questões, momentos de opção.
e tal como os filhos não vêm com livro de instruções, também nós na nossa vida não temos momentos de aprendizagem sobre 'como ser PAI'. crescemos com o PAI (às vezes) , vemos como ele é e ganhamos referências, conhecemos os PAIS dos nossos amigos (às vezes) e sabemos ou aprendemos a ver aqueles pontos comuns bem como as diferenças entre os deles e os nossos. aqueles com mais sorte, ainda puderam conhecer outros modelos mais antigos e que eram os PAIS dos nossos PAIS, mas aí começamos a entrar naquela geração onde não havia muitas questões mas sim muitas certezas patriarcais. tudo absorvido, juntamente com toda a informação de natureza social mais a informação opcional de cada um, e aí estamos nós, lançados na arena da vida e eis senão quando ... soltam-nos as crianças.
(esta é a primeira parte de uma partilha. continua dentro de umas horas, talvez dias, quem sabe semanas, mas continua!!!)

segunda-feira, 4 de setembro de 2006

Publicidade, meu amor

Está tão presente que nem damos por ela, é a parte mais visivel da economia de mercado. Sem ela não havia fotebol, ténis, formula 1, golf, e todos os outros desportos, mesmo os menos conhecidos, que existem apenas para ocupar pequenos espaços (entre anuncios) de Tv. Não havia Tv e as caixas dos correios, estavam sempre vazias. Sem ela não se vendia tanto, portanto não compravamos tanto, logo tinhamos mais algum no bolso. Então não precisavamos de trabalhar muito, e tinhamos mais tempo para fazer outras coisas, por ex. estar com os amigos (que não podiam dar a desculpa de ir á bola - lembram-se já nã havia fotebol) estar com os filhos (que tambem já não podiam estar a vêr Tv - lembram-se, tambem já não havia). As empresas que já não vendiam á grande, tinham de baixar os preços (lá estamos nós a ganhar outra vez). Não havia aqueles grupinhos de betos vestidos só com roupas de marca. A marca já não ditava a tua personalidade. Então mas o que é isto ? Vou vestir um fato xpto e não fico logo com ar de intelectual-urbano-cuidadosamente-desleixado ? Então, vou ter de o provar com palavras, ideias e actos? Então só o aspecto já não me chega? o quê, não me digas (desculpem a interrupção mas tive de ir dar leitinho á Petra) que vais guardar umas vacas e não fumas Marlboro? Agora digam lá se não tinham uns tenis Sanjo se tivessem uma publicidade tipo Nike ? Toca a abrir os olhos suas mulas a publicidade é o nosso MATRIX.

ps. este post foi patrocinado pela Milupa (leite para crinças)

sempre a considerar

pausa para publicidades


demasiada publicidade no subconsciente ... ou sonhos a p/b
mais filmes em concurso em : http://www.studiosmack.nl

Palavras para quê ..

são artistas portugueses ...

sábado, 2 de setembro de 2006

MAS QUEM É O VERDOCAS?

Todas as pessoas perguntam, telefonam, mandam msm, todo o blog reclama: Mas quem é o raio do Verdocas? Para responder à questão nada melhor que mostrar a sua foto uma vez que ele recusa-se a editar o seu perfil.


o verdocas disfarçado de bicho verde



o verdadeiro verdocas

Quem o encontrar, entregue-o ao Panda, que anda desesperado à sua procura e já sabem que ganham uma medalha de "Somos os melhores amigos do ambiente".

3 - História ainda sem titulo

Assim que pude sai daquele pesadelo, não sem antes dar o código ao Xado do meu Pctvmov, para que pudesse entrar em ligação comigo quando precisá-se, no rent a car perto do estádio, aluguei um veiculo hibrido, fusão a frio/ hidrogénio, já não havia movidos a ar comprimido, mas não era mau de todo. Quando o petroleo se extinguio, saltaram para o mercado mil e uma formas de energias alternativas, consta-se que já existiam muito antes de este acabar mas devido a razões economicistas foi o que se viu. Passaram por mim Helibulâncias sem fim, na megastrada a caminho de Lisboa os helibeiros eram tantos que reservaram oito das doze faixas de rodagem só para eles. O rio chegava a Alverca, a avenida da Crel, que antes dividia Lisboa entre zona histórica e as avenidas novas que iam de Mafra passando por Torres Vedras até Torres Novas, era agora a marginal. Ainda tenho presente a altura em que o rio chegava apenas ao alto do Parque Eduardo VII (agora batizado com o nome de Jeronimo de Sousa) e o castelo de São Jorge assemelhava-se ao de Almorol.
Havia visitas Guiadas de submarino para conhecer a Baixa, Alcântara e toda a zona inundada em 2038. A peninsula, perdão a ilha Ibérica tinha sido tambem afectado por esta altura com os glaciares de tamanho continental que flutuavam pelos oceanos tal e qual uma jangada de pedra. E foi ali naquele posto de controlo que a vi pela primeira vez, .... (continua)

sexta-feira, 1 de setembro de 2006

rochard fun



2. história ainda sem título

– então estás a dizer-me que do meu irmão não há notícias...??!!!! e o lui??? a torina?????
– até agora nada!.
com estas palavras o semblante de xado ficou carregado como se soubesse algo mais que não me queria dizer naquele momento. eu sentia por dentro o nó que se formava, não queria ouvir. mesmo que fosse verdade não queria ouvir. até receber algum tipo de confirmação, a ideia de voltar a encontrar todos vivos e bem, era maior do que tragédia em si. os nomes continuavam a ecoar pelo estádio em tom de esperança, o burburinho era constante e a manta de pessoas que cobria o relvado e a pista de atletismo, fazia um padrão em constante mutação.
peguei no braço de xado e dirigimo-nos a uma tenda onde parecia ser possível tomar uma bebida quente. quando chegámos mais perto da enorme fila de mantas ambulantes que esperavam a sua vez, uma cabeleira loira lá ao longe desperta a minha atenção. era a elsa, a elsa raposo, mesmo ao longe aqueles lábios não enganavam.
– elsaaa!!! gritei com tanto entusiasmo que várias pessoas olharam com ar reprovador, talvez porque o ambiente era pesado demais para aquela alegria que me invadiu.
– pecooo!!! tás cá pá. onde tá o lui??... peco oh pá, que sorte tar viva pá, que sorte...!!!
as palavras eram cortadas por soluços de choro. tentei dar-lhe um abraço mas os implantes de silicone eram tão grandes que dificultaram o gesto. a mão direita e o braço estavam com ligaduras. sentei-me ao seu lado e pus o braço por cima do seu ombro tentando acalmá-la.
podia ver xado na fila que entretanto também tinha encontrado alguém que abraçava.
por entre alguns soluços elsa prossegue:
– naquele dia eu e o fonseca...
– fonseca???? então e o songalo???
– oh pá, não me digas nada pá, esse gajo é um bruto!!!
– o quê? não me digas que essa mão ...????
– não, não!! não foi ele pá! isto foi uma operação recente para tirar o nome dele que eu tinha tatuado, lembras-te??- disse ela por entre aqueles grossos lábios que eu nunca percebia se tinham expressão de riso, de choro ou outra coisa qualquer.
– então? tu e o songalo... tanta coisa... ele era tatuagens, ele era casamento... então???
_ oh pá, pois é pá... foi uma fase má, tipo eu não sei onde é que estava ca cabeça. áliás, eu continuo sem saber onde é que tou ca cabeça, ou o qué que tenho dentro dela.
o assunto era sério. dava para perceber, não pela expressão mas, sim pelo tom de voz que se tornou grave e baixo. celsa continuou:
– mas naquele dia, eu e o fonseca saímos de manhã cedo para uma viagem a fátima. ia uma vez mais com a pessoa que amo, abençoar a nossa relação... oh pá, sabes como eu sou. até já sou conhecida lá no santuário pá, já todos os padres me cumprimentam e são supé'simpáticos comigo... giríssimo não é? isto deve ser do jeito que eu tenho para relações púbicas, adiante... mas o que é que eu tava a dizer mesmo...????
celsa parecia baralhada. aproveitei o deslize e deslizei para perto de xado que entretanto estava sózinho. celsa continuou no chão sentada a olhar o céu e a largar palavras para o ar que se perdiam no barulho dos nomes que saíam do megafone.
*nota do autor (qualquer semelhança com a realidade é pura coincidência)

quarta-feira, 30 de agosto de 2006

1 - HISTÓRIA AINDA SEM TITULO

Ainda não eram 10:30, quando aterrei no velhinho aerodromo de voos domésticos chamado Ota. Fiquei impressionado com o estado de degradação a que tinha chegado, fez me lembrar um simulador que tive quando era miudo, em que podiamos escolher os aeroportos onde aterrar, e eu escolhia sempre os de África e América do sul, em contraste com os suptuosos e ultra-modernos de Changai, Pequim e Nova Deli. Fazia exatamente 9 anos que tinha saido da Provincia Portuguesa Europeia rumo á grande potência e a terra das oportunidades, a India. No meu passaporte electrónico constava ainda: nome: Peco Guimarães de Sousa, idade: 37 anos, Nacionalidade: Europeia, Provincia: Portuguesa, Local de residência: Setubal, emitido em: 3 de Fevereiro de 2068, válido até: 3 de Fevereiro de 2098. E foi este facto que me permitiu poupar no minimo 10 minutos para sair do aerodromo. As filas dos não Europeus eram de cerca de 2 horas, visto serem muitos a procurar trabalho por estas bandas. Ainda não sabia bem o que vinha cá fazer, mas assim que soube do acontecimento, não conti este impulso que me trouce até aqui. Talvez a procura de um familiar ou um amigo que tenha sobrevivido, ou apenas uma curiosidade morbida ou um chamamento patriótico. Dirigi-me para Santarém, pelo taxista fiquei a saber que o saldo dos mortos já rondava as 7500 pessoas, mas devido ao nível das aguas do Tejo ainda havia muito por contar. Na entrada do estádio "Cristiano Ronaldo" eram milhares de pessoas amontuadas, enrroladas em cobertores, umas com feridas exteriores e certamente todas com mazelas interiores que não se viam mas quase que se podiam cheirar no ar. No local que se autodenominava "Ponto de encontro" esperavam umas dezenas de pessoas á procura dos seus familiares, aos quais me juntei. Cada um apenas podia chamar aos altifalantes por três pessoas desaparecidas, lembrei-me do meu irmão o Lui, a Torina e o Xado um amigo de infância.
- Xado, estás bem?
- Há quanto tempo não te via, Peco.
- Está mais alguêm contigo ?
- Não.
- E Lisboa, como é que ficou?
- Após o terramoto, ficou pouca coisa de pê, e o Tsunami fêz o resto.

(continuação) quem quiser continuar a historia ponha no titulo 2,3,... - HISTÓRIA AINDA SEM TITULO

A VOZ DOS MAIS NOVOS

Aceitando o desafio do Veiga & Veiguinhas, a Caia decidiu publicar "1 desafio, 5 minutos 5 instantes". - Ida ao parque.







PS: A Peta tb aceitou o desafio, mas a máquina..........partiu-se,.... foi sem querer,..............,.........

terça-feira, 29 de agosto de 2006

desafio, 5 horas 5 instantes, aqui está o meu





Identifiquem-se

Têm me perguntado quem é este, quem é aquele e aquele outro.
Como este meio de comunicação não nos permite falar olhos nos olhos (o que era o ideal) pelo menos identifiquem-se. Para isso podem (DEVEM) editar o vosso perfil e agora têm ai do lado direito uma canetazinha para o livro de visitas.
É SEMPRE BOM SABER COM QUEM FALAMOS, CERTO?

sempre a considerar ...

tribute to BOOM_06


BOOM demais!!!! marcamos encontro lá daqui a dois anos.

desAFIO, 1 VIagem 5 insTANTES, aqui está o nosso





domingo, 27 de agosto de 2006

A VOZ DOS MAIS NOVOS

chegou a hora de dar voz aos mais novos neste nosso novo mundo do blog. à partida poderão parecer coisas sem sentido, mas isso acontece porque nos esquecemos de ser crianças e de deixar escorrer o pensamento como elas são capazes. no meio destas palavras estão rebuscados pensamentos, teorias e filosofias que deixamos para que leiam e tenham uma pausa para reflexão. pode estar aqui a chave de muita coisa ainda sem resposta. dêm voz às crianças, soltem as crianças que têm dentro de vós.
"o meu nome é gustavo :) gosto de fazer coisas, ver televisão, brincar com o gaspar e dormir.sou inteligente como o crómio dos morangos. gosto do pai e da mãe. consigo fazer muitas coisas de magia e brincar. gosto do gaspar e das tartarugas gaga e guga. gosto de jogar futebol em casa ou lá na rua, com o daniel, com o francisco e com o tiago. o pai é um coração e a mãe é uma coraçona. gosto muito de acampar e quando acampei gostei muito de brincar com o pedro. tenho uma namorada que se chama ema, gosto muito de lhe dar abraços. gosto muito da fabíola e do joão porcalhão e do joão lá de baixo. gosto muito da nosa casa e do meu quarto e do quarto da mãe e do pai. o nosso sofá dá para fazer muitas coisas"
"o meu nome é gaspar :) e gosto do batista e de fazer coisas no skate e depois brincar às apanhadas. e brincar aos patins. tenho 3 anos e gosto de ser fofinho, deixar caír isto ao chão e gosto de deixar os vidros partirem-se. gosto de andar de cavalo e de esquilo. os grilos não cantam de dia, só cantam à noite e gosto de partir os pipis, gosto de apertar as maminhas da mãe e de pôr o baton das meninas"

sábado, 26 de agosto de 2006

Ambiente

Á dias estava a ver o canal Panda, apareceu um tipo chamado Verdocas e ensinou-me que as pessoas andam demasiado preocupadas com as limpezas de casa e do carro (há pessoas que um fim de semana não é fim de semana sem uma passagem no elefante azul), e que assim acabam por poluir o planeta. Quando for necessário as peças da casa de banho devêm ser limpas com vinagre, os móveis com uma mistura de vinagre e azeite, escolher um detergente que dê para limpar tudo e usar muito pouca quantidade. O óleo de fritar quando está sujo, colocar numa garrafa de plástico e pôr no lixo orgânico. Uma gota deste óleo estraga 250 l de água.

sexta-feira, 25 de agosto de 2006

livrinhos de bolso

eduardopost sobre como trocar de livros com outras gentes » click :click me! ;)

post sobre o ultimo livro que li » Uma forma engenhosa de olhar "de fora" para dentro do modo de ser e viver dos habitantes do planeta Terra, neste caso, de Barcelona - um extraterrestre que cai no meio dos humanos, os observa, tenta entendê-los e vai-se adaptando e sobrevivendo.

É uma observação arguta e irónica dos mil e um pormenores que fazem o nosso dia-a-dia e que, por estarmos tão embrenhados nele, nem nos apercebemos de como são absurdos e gratuitos.