sábado, 28 de outubro de 2006

JÁ ESCOLHERAM O VOSSO PORTUGUÊS ?



Eu escolho este homem, Infante D. Henrique.
Hesitei entre o D. Afonso Henriques, porque na escolha do grande Português devia ser dada àquele que nos permite isto mesmo, ser Portugueses. Mas como na altura era relativamente normal andarem á pancada (curioso, agora que estou a pensar, esse habito persiste até hoje) este jovem não fez mais do que ganhar umas batalhas, bateu na mãe e fez um país (coisa pouca). O Infante teve o mérito de não se acomodar a vidinha faustosa lá do palácio, chamou os melhores intelectuais do reino e da Europa e traçou um plano impensável na altura, vamos lá dar umas voltinhas de barco por ai.

sexta-feira, 20 de outubro de 2006

nada

No seguimento das iniciativas do Dia Sem Compras (http://gaia.org.pt/semcompras) e do Econatal (http://gaia.org.pt/econatal), o GAIA opõe-se a práticas que promovam o consumo e que contribuam para a degradação ambiental e social para fins meramente comerciais. O GAIA promete combater este tipo de iniciativas comerciais natalícias e irá agir de forma criativa e não violenta contra futuros monstros do Natal, promovendo práticas mais ecológicas, mais humanas e menos consumistas.

terça-feira, 17 de outubro de 2006

Afinal existe



Com o nome de Gaspar sua identidade tem sido escondida pelos seus pais desde o dia em que chegou, mas os seus poderes a pouco e pouco têm sido revelados. E nem a kriptonite o pode deter.

quinta-feira, 5 de outubro de 2006

4 - História ainda sem titulo

(continuação, ver post´s anteriores)

..., a sua pele era morena, os olhos ligeiramente rasgados e o nariz um pouco arrebitado. Ocupava-se a vêr os passaportes digitais, e deixava ou não, as pessoas entrarem no perimetro da zona denominada "+30".
Quando era miudo enchia os bolsos de amendoins, corria para o parque e alimentava as primeiras rolas que via, instantes depois mal conseguia vêr o chão tal era a quantidade que caia sobre mim, aqui sinto o mesmo, entre esta multidão desesperada, que não procurava alimento para o corpo mas sim para a razão. Alguns desejavam vêr os seus pertences, outros os seus parentes, mas a maioria nem sabia para onde ir. O dialecto Português praticamente já não se ouvia, esta provincia foi a primeira a absorver o Uês (uma mistura de Inglês, Espanhol e Alemão do principio do sec.)a lingua oficial da UEP (União Europeia das Provincias) acrescendo o facto que esta provincia da UEP foi das mais afectadas com aquilo que ficou conhecido pela "Invasão dos esfomeados".
No inicio do sec. XXI a chegada de imigrantes Africanos á antiga UE, começou por ser feita atravês de pequenissimas embarcações que traziam entre 50 a 100 pessoas, e os poucos que sobreviviam á viagem eram facilmente apanhados pela Guarda. Uns eram repatriados (os idosos e doentes) outros eram explorados pelos empresários. A UE na altura tinha uma população envelhecida e os sistemas de segurança social falidos mas mesmo assim a entrada a imigrantes sempre fora muito condicionada.
Por volta de 2020 estes barquinhos foram substituidos por petroleiros, paquetes, cruzeiros e aviões com milhões e milhões de pessoas esfomeadas provenientes de paises como a Libia, Egipto, Iraque (o que restou dele) e praticamente todo o continente africano.
Eles só fugiam da miséria e da fome dos seus paises, claro que houve alguma violência mas tendo em conta os numeros envolvidos (falou-se em cerca de 20 milhões)foi tudo muito pacifico, espalhados por toda a UEP vieram dar um forte crescimento a esta economia que já se encontrava bastante atrás da Chineza e da Indiana.
Zoe, dizia o seu cartão de indentificação ....

(continuação) quem quiser continuar a história ponha no titulo 5,6,... - HISTÓRIA AINDA SEM TITULO

segunda-feira, 2 de outubro de 2006

Voltar a dormir em casa dos pais

Se não for por razões dramáticas é uma experiência que eu aconselho.
Para isso tem de haver uma condição, eles não terem mudado de casa á pelo menos 15 anos.No meu caso acontece isso e mais, nem um só móvel foi desviado um milimetro.
A primeira impressão parece-me natural, o tecto está mais baixo(não, nós e que crescemos). As divisões estão mais pequenas (não, nós é que engordámos). Acho muito estranho vêr aqueles guarda fatos sem serem embebidos na parede.
É sempre bom passear por uma casa e ver fotografias nossas ainda com cabelo.No quarto "O NOSSO QUARTO" pensas, como é que foi possivél tu teres escolhido estes móveis, pelas paredes vês algumas mossas e lembraste de como elas aconteceram, abres umas gavetas (agora arrumadas) e deparas com umas cassetes ( sim, eu disse cassetes) do Rod Stewart e começo logo a cantarolar "baby jane", Nina Hagen, uns Polystar e Culture Club, já nesta altura o gosto era refinado. Agora sabes que aqueles 12m2 não são o centro do mundo. Pelo resto da casa onde antes andavas as escuras e conhecias cada cm, agora já nem sabes qual interruptor é que liga a luz do hall ou da casa de banho. Ficas um estranho do teu passado.
Sempre a considerar