domingo, 7 de janeiro de 2007

SIM / NÂO à despenalização do ABORTO





Portugal tem uma lei muito restritiva no que toca ao aborto. O aborto é apenas possível quando a gravidez representa risco para a vida da mulher ou para a sua saúde; no caso de malformação fetal ou quando a gravidez resulta de violação.

Mas mesmo nesses casos raros, nem sempre há a possibilidade de recorrer ao aborto porque, em alguns casos, os hospitais ou os médicos recusam prestar ajuda a mulheres nestas condições. As principais razões pelas quais as mulheres recorrem ao aborto, ou seja, razões sociais, económicas e psicológicas são excluidas segundo a lei portuguesa.

Mas a Lei pode agora mudar, proponho aqui uma sondagem de opinião e uma jusficação que sustente a escolha do SIM ou Não à despenalização do aborto.

2 comentários:

duARTEE disse...

sinceramente a lei não me parece má podem vê-la em http://www.portal.juventudesocialista.org/documentos/IVG-Anexo2.1.pdf mas não é exequivél no nosso Sistema Nacional de Saúde, por isso vou votar SIM mas acrescentava um artigo á nova lei.A mulher que abortar na 2ª vez deverá ser laqueadas as trompas. Porque o aborto mesmo legal e medicamente assistido não é metodo anti-concepcional. sempre a considerar

neorui disse...

sou a favor do direito escolha, da liberdade. sou contra os movimento de apoio ao sim ou ao não. é ou deve ser uma escolha individual.
Acho que ninguem interrompe uma gravidez de animo leve, não acho que se possa comparar a um metodo anti-concepcional Duarte.
Acho que a nossa vivência faz com que saibamos que assim como está não pode ser, o aborto faz.se desde sempre e agora temos condições para que seja minimanente seguro.
A ciência evolui, as mentalidades tambem deviam. sinceramente preferia que os defensores do não defendessem com a mesma forma o abate de arvores e animais (já nascidos) para consumo humano.
E se há mais movimentos organizados a favor do não é porque a igreja está organizada á mais de mil anos.
Tanto mais havia a dizer, porque é que ninguem escreve aqui?