quarta-feira, 20 de fevereiro de 2008

a ponta

já passava das 9 horas da noite, desço as escadas do prédio, escondo-me nas escadas do prédio ao lado, onde já lá estava o Kico, o Paulinho e o Luis.
Acendo um cigarro.

- Deixa-me a PONTA -diz o Kico prontamente.
- já tinha combinado com o Paulinho que esta semana todas as PONTAS eram para ele.
- eu daqui a 10 minutos fumo um cigarro e deixo-te a PONTA - diz o Luis apaziguador
- dava-te um cigarro mas só tenho mais um - digo eu
- eu ainda tenho mas estou a poupar e prefiro ir fumando umas PONTAS
- olha ai PONTA - diz o Paulinho ansioso
- tá, eu não me esqueço
- então e as aulas
- hoje baldei-me
- olha ai a PONTA - diz o Paulinho ainda mais ansioso
- toma
- que cena mais surrada

4 comentários:

analuE disse...

Memórias de uma adolescência ??? Estarás tu a criar uma rubrica como a outra ????
Paulinho, Kico, Luís não é propriamente o ter saudades dessa altura mas a inconsequência, a liberdade de pensamento mais do que a das acções até (no meu caso), a expectativa do " o que virei a ser", a vida por descobrir, amizades cùmplices, a transgressão.Já nada poderá ser vivido com a intensidade dessa altura, aliás os momentos não se repetem são únicos.

analuE disse...

Só mais uma coisa é curioso pensar na aptidão que o paulinho já tinha para o negócio, para a poupança.

neorui disse...

das memorias de um trintão, espero que tenha continuação

fi disse...

Recordações da vila de Oeiras - bom titulo para um romance!