segunda-feira, 29 de setembro de 2008

back2school

zx spectrum

lisbon calling

http://lisboncalling.net



diz o paveia que andam por aí a cobrar 35€ aos amigos pelas dormidas.
aqui no hostel fazemos a coisa por 20€ e ainda comem pequeno almoço.



apareçam por cá. o café é à borla.

domingo, 28 de setembro de 2008

E porque NÓS tb existimos

Queremos comunicar que temos uma priminha, para se juntar às nossas brincadeiras das barbies e bebés. É linda, simpática e disse que ia ser nossa amiga. Nasceu hoje na Estefânia, a mãe dela disse que custou um bocadinho, por isso não queremos ser "mães". Queremos sim, dizer que gostamos muito da MIRANDA!

PARABÉNS AOS INTERVENIENTES!!!!


casas e amigos

afinal a coisa dura há cerca de 30 anos e processos é vê-los a prescrever desresponsabilizando quem por lá passa. são jogos de poder, influências, favorecimentos, enfim, são casas a €35/mês para os amigos em detrimento das pessoas para quem elas são feitas e que são com certeza mais necessitadas.
se entre nós juntarmos só o que aumentou na renda das nossas casas neste último ano, veremos que dará para garantir uma casa dessas durante muito tempo. o resto que não entrou para estas contas dava para termos uma vida mais folgada, mas isso não é para todos,é só para os amigos.

20%

é a percentagem de participantes na última sondagem que se tivessem jogado no totobola tinham acertado. ai o meu sporting :(

sábado, 27 de setembro de 2008

o caracol, a minhoca, a ovelha e a bola azul

video

a mudança

como sempre ouvi dizer e acreditei, o conformismo é o maior inimigo da mudança e eu não estava conformado com o aspecto visual deste blog. e porque em breve vão entrar as fotografias desse grande desafio lançado pelo duarte "a minha vida dava uma fotografia", achei que melhor seria mesmo haver uma mudança que limpasse o ruído visual que por aqui andava no sentido de podermos observar as obras enviadas com a maior clareza possível.
gostava de voltar a participar mais neste blog e conto que esta mudança me dê um novo ânimo.
PAVEIA IS BACK

terça-feira, 23 de setembro de 2008

JÁ FALTA POUCO

1º Grande Concurso de Fotografia do Blog
NÓS E AS NOSSAS COISAS
este ano sob o tema:
"A MINHA VIDA DAVA UMA FOTOGRAFIA"
condições de participação:
- seres colaborador no blog - seres tu o autor da fotografia - postar a fotografia apenas no dia 30 de Setembro de 2008
prémio:
um jantar pago pelos outros colaboradores do blog que se realizará assim que for combinado
Para júri convocam-se todos os que votarem numa sondagem feita à posteriori
PARTICIPA

terça-feira, 16 de setembro de 2008

Seios túrgidos

É um cenário recorrente nas (muitas) empresas onde já trabalhei.

Volta e meia:

“- Olá tia! Tá, tá tudo bem... De férias!? Não! Estou no trabalho!... E a tia? E o tio? E a avó? E o cão?... o miúdo está bem obrigado... blá, blá, blá...fraldas. ... blá, blá, blá....esteve doente ... blá, blá, blá.... sabe como eles são... blá, blá, blá.... já faz cocó... blá, blá, blá....ai, a tia Zulmira está intrátável, não há pachorra para a aturar ... blá, blá, blá... e pagam-me mal.... blá, blá, blá.... e eu cheia de trabalho... blá, blá, blá....então e nas férias estivestes aonde? ... blá, blá, blá.... ah, prontos... blá, blá, blá....fizestes? ah, que bom... blá, blá, blá....olha, fui às compras e ... blá, blá, blá.... ... blá, blá, blá.... não, aqui está bom tempo... blá, blá, blá.... blá, blá, blá.... ... blá, blá, blá.... “


Na passada sexta-feira, em Los Angeles, Estados Unidos, um condutor de um comboio, por estar a enviar um sms, passou um sinal vermelho. Resultado: colisão entre dois comboios e 25 mortos.


Ah, o título? O título nada tem a ver com o post.
Confesso que foi só para chamar a atenção e para vos fazer pensar no assunto. Da próxima vez que estejam HORAS ao telefone, durante o horário de trabalho, lembrem-se que daí podem advir consequências (que não apenas a conta telefónica do patrão...)
Mas, se calhar, algumas delas, enquanto estão nesses telefonemas, estão com os seios túrgidos...

segunda-feira, 15 de setembro de 2008

Carta aberta aos meus colegas professores

Testemunho deixado num comentário do colega J. Moedas Duarte que> merece aqui completa transcrição.
> > Fui professor durante 37 anos na Escola P. Francisco Soares de Torres> Vedras e reformei-me em Janeiro passado.> Hoje, dia 1 de Setembro, senti necessidade de voltar à escola para dar> um abraço solidário aos meus colegas> > Num expositor da Sala de Professores deixei este texto, que partilho> agora com o grupo mais alargado dos leitores deste blogue, cujo mérito> tenho divulgado sempre que posso.> > CARTA ABERTA AOS MEUS COLEGAS PROFESSORES> > Pela primeira vez em muitos anos não retomo a actividade docente no início do ano lectivo. Mas não o lamento e é isso que me dói. Sempre disse que queria ficar na escola mais alguns anos para além do tempo da reforma, desde que tivesse condições de saúde para tal. Contudo,vi-me 'obrigado' a sair mais cedo, inclusivé aceitando uma penalização de 4,5% sobre o vencimento. Não sou protagonista de nada: o meu caso é apenas mais um no meio de milhares de professores a quem este Governo afrontou. Só quem não conhece as escolas e tem uma ideia errada da função docente é que não entende isto. É doloroso ouvir pessoas que sempre deram o máximo pela sua profissão,que amam o ensino e têm uma ligação profunda com os alunos, a dizerem que estão exaustas e que lamentam não serem mais velhas para poderem reformar-se já. Vejo com enorme tristeza estes colegas a entrarem no ano lectivo como quem vai para um exílio. Compreendo-os bem…Este estado de coisas tem responsáveis: são a equipa do Ministério da Educação e o Primeiro-ministro. A eles se deve a criação de um enorme factor de desestabilização e conflito nas escolas que é a divisão artificial da carreira docente entre 'professores titulares' e os outros que o não são. Todos fazem o mesmo, a todos são pedidas as mesmas responsabilidades, mas estão em patamares diferentes, definidos segundo critérios arbitrários. A eles se deve um sistema de avaliação de desempenho que não é mais do que a extensão administrativa daquele erro colossal. A eles se deve a legislação que não reforça a autoridade dos professores na escola, antes os transforma em burocratas ao serviço de encarregados de educação a quem não se pedem responsabilidades e de alunos a quem não se exige que estudem e tenham sucesso por mérito próprio. No ano passado 100 000 mil professores na rua mostraram que não se conformavam com este estado de coisas. O Governo tremeu. Mas os Sindicatos de professores não souberam gerir esta revolta legítima. Ocupados por gente que não dá aulas, funcionalizados e alienados pelo sistema, apressaram-se a assinar um acordo que nada resolveu, antes adiou um problema que vai inquinar o ano lectivo que hoje começa. Todos os que podem estão a vir-se embora das escolas, é a debandada geral. Gente com a experiência e a formação profissional de muitos anos, que ainda podiam dar tanto ao ensino, retiram-se desgostosos, desiludidos, magoados. Deixaram de acreditar que a sua presença era importante e bateram com a porta. O Governo não se importa, nada faz para os segurar: eram gente que tinha espírito crítico e resistia. «Que se vão embora, não fazem cá falta nenhuma!» Não, não tenho pena de não voltar à escola. Pelo contrário: entro em Setembro com um enorme alívio. Mas não me sinto bem. Estou profundamente solidário com os meus colegas de profissão e tenho a estranha sensação de que os abandonei, embora saiba quanto isso é pretensioso da minha parte. Vejo com apreensão e desgosto que, trinta e sete anos depois de começar a ser professor, a escola não está melhor. Sim, regressarei hoje à escola. Mas só para dar um imenso abraço àqueles que, corajosamente, como professores no activo, enfrentam um novo ano lectivo.> > Torres Vedras, 1 de Setembro de 2008> > Joaquim Moedas Duarte

quarta-feira, 10 de setembro de 2008

A Língua traiçoeira.......

Se o Mário Mata, a Florbela Espanca, o Jaime Gama e o Jorge Palma, o que é que a Rosa Lobato Faria?
Talvez a Zita Seabra para o António Peres Metello...

Politicômetro

Proponho.vos uma espécie de auto-análise.
20 perguntas para te encontrares politicamente.
Clica
 aqui e descobre a tua verdadeira tendência política.
Não é brincadeira.

(era giro pulicarem os vossos resultados nos comentários)

terça-feira, 9 de setembro de 2008

ASSALTO NO ALENTEJO

Dois alentejanos assaltaram um banco, fugiram de carro e, quando se julgaram a salvo, pararam numa estrada secundária a descansar.
Diz um: - Atão, aproveitamos para contar o dinhêro?
Responde o outro: - 'Nan vale a pena essa trabalhêra, logo no Telejornal dizem quanto é!

PETRA

MUITOS PARABÉNS À MIÚDA MAIS GIRA E MAIS SIMPÁTICA DE ODIVELAS.COMÉKIÉ VENHAM DE LÁ ESSAS PALMAS E QUE CHOVAM MUITAS PRENDAS E MAI NADA.

quinta-feira, 4 de setembro de 2008

sondagem

segundo a nossa concorrida sondagem a FI, ANALUE e RAQUEL que se juntem e organizem um jantar/almoço

quarta-feira, 3 de setembro de 2008

"coisas" da "nossa terra"











Uma História Simples

Uma velha senhora chinesa possuía dois grandes vasos, cada um suspenso na extremidade de uma vara que ela carregava nas costas.
Um dos vasos era rachado e o outro era perfeito.
Este último estava sempre cheio de água ao fim da longa caminhada do rio até casa, enquanto o rachado chegava meio vazio.
Durante muito tempo a coisa foi andando assim, com a senhora chegando acasa somente com um vaso e meio de água.
Naturalmente o vaso perfeito era muito orgulhoso do próprio resultado e o pobre vaso rachado tinha vergonha do seu defeito, de conseguir fazer só a metade daquilo que deveria fazer.
Depois de dois anos, reflectindo sobre a própria amarga derrota de ser'rachado', o vaso falou com a senhora durante o caminho: 'Tenho vergonha de mim mesmo, porque esta rachadura que eu tenho faz-me perder metade da água durante o caminho até a sua casa...'
A velhinha sorriu: reparaste que lindas flores há somente do teu lado do caminho?
Eu sempre soube do teu defeito e portanto plantei sementes de flores na beira daestrada do teu lado. E todos os dia, enquanto a gente voltava, tu regava-las.
Durante dois anos pude recolher aquelas belíssimas flores para enfeitar a mesa. Se tu não fosses como és, eu não teria tido aquelas maravilhas na minha casa.
Cada um de nós tem o seu próprio defeito. Mas é o defeito que cada um de nós tem, que faz com que nossa convivência seja interessante e gratificante.
É preciso aceitar cada um pelo que é... E descobrir o que há de bom nele.'