terça-feira, 26 de setembro de 2006

A metamorfose


Olho o espelho,
vejo atrás de mim o que já não é igual,
reconheço a indiferença porque o tempo passou,
agora sou, já não porque me apetece,
trago em mim aquilo que não se esquece,
não quero voltar nem pesar,
firme vou continuar,
se num acaso voltar encontrar o espelho,
sem contar as diferenças irei olhar,
serão formas ou afagos?
não interessa,
apenas o quero conseguir contemplar.

pensamentos tantos,

Abraços,

3 comentários:

duARTEE disse...

AUTO RETRATO SOBRE O TRANSISTOR MOLHADO

joana disse...

Irreconhecível… antes de ler o poema, claro!

Anónimo disse...

WY BOTHER...